Calçada dos Gigantes

A Calçada dos Gigantes ou Clochán an Aifir or Clochán na bhFomhórach (não faço ideia de como se pronuncia isso) em Irlandês é um lugar incrível e, (infelizmente) pouco conhecido aqui no Brasil, localizado na Irlanda do Norte.

Essa é a Calçada do Gigante.

Essa é a Calçada dos Gigantes.

O local é formado por quase 40.000 colunas (na maioria das vezes hexagonais) formadas de basalto (uma rocha eruptiva formada pelo resultado da consolidação devida ao resfriamento do magma parcial ou totalmente derretido [desculpa a aulinha de petrologia, mas é só para você ter uma noção do que é um basalto]) interligadas que realmente parecem com calçadas feitas pela mão do homem.

A Calçada vista mais de perto.

A Calçada vista mais de perto.

A Calçada dos Gigantes é a maior atração da Irlanda do Norte, é um patrimônio da humanidade desde 1986 e até já foi capa de CD do Led Zeppelin.

O álbum Houses of the Holy (Casas do Sagrado) tem como cenário a Calçada dos Gigantes, em 2012 a Rolling Stones pôs esse álbum na lista dos melhores 500 álbuns de todos os tempos.

O álbum Houses of the Holy (Casas do Sagrado) tem como cenário a Calçada dos Gigantes, em 2012, a Rolling Stones pôs esse álbum na lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos.

História

A descoberta da Calçada dos Gigantes foi anunciada ao mundo em 1693 pelo Sir Richard Bulkeley da Trinity College em Dublin. Entretanto, a descoberta foi feita, de fato, pelo Bispo Derry, que visitou o lugar em anos anteriores.

Mas como foi que essa calçada natural se formou? Bem, uma erupção vulcânica submarina expeliu grandes massas basalto, há 60 milhões de anos atrás, que foram solidificando-se e compactando-se, devido à resfriação.

Mulher caminha sobre a Calçada dos Gigantes.

Mulher caminha sobre a Calçada dos Gigantes.

Lenda

Mas qual o porquê do nome, quem são esses gigantes? A lenda é a seguinte: um guerreiro irlandês (gigante, óbvio) chamado Fionn Mac Cumhaill, construiu a calçada (que nesse caso está mais para uma ponte) para a Escócia. Outra versão diz que Benandonner, outro gigante (só que escocês), desafiou Fionn, só que Benandonner era bem maior que Fionn. Então Fionn tentou um modo de sair daquela situação, Oonagh, esposa de Fionn, veio com a brilhante ideia de disfarçar o marido de bebê (isso mesmo, bebê). Quando Benandonner chegou, Oonagh disse que Fionn teve que sair para resolver uma tarefa (fazer xilogravura) e que em breve estaria em casa, então ela lhe mostrou o seu “filho”. Quando Benandonner viu a criança ele imaginou como seria grande o seu pai e saiu destruindo a calçada/ ponte enquanto estava correndo. Mas não se sabe se o casal viveu feliz para sempre. Existem outras versões para a lenda, mas eu acho que já escrevi demais sobre esse tema.

Fauna e Flora

A Calçada é lugar de principalmente, aves como o mergulhão e pardela. Já como representantes da flora, algumas plantas incomuns como feto-marinho e a Coeloglossum viride (uma espécie de orquídea) estão na região, entre outras.

A Asplenium marinum, conhecida como feto-marinho (à esquerda) e a Coeloglossum viride conhecida como Frog Orchid (sapo orquídea) fazem parte da estranha flora da Calçada dos Gigantes.

A Asplenium marinum, conhecida como feto-marinho (à esquerda) e a Coeloglossum viride conhecida como Frog Orchid (sapo orquídea) fazem parte da estranha flora da Calçada dos Gigantes.

Veja mais algumas imagens desse capricho da natureza (clique para aumentar).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Calçada dos Gigantes também já serviu de cenário para um dos vídeos de Matt Harding.

A Calçada dos Gigantes também já serviu de cenário para um dos vídeos de Matt Harding.

Jogos e Livros de 2012

Como sou praticamente feito dessas coisas vou fazer uma listinha abaixo sobre o que joguei e li esse ano. A lista está em ordem cronológica e não preferencial.

Jogos:

Todos os meus jogos são de Wii, porque, bem… Eu só tenho Wii!

  1. Super Paper Mario

Um jogo pra lá de difícil com vários enigmas e mistérios; os gráficos são bem feitos e as passagens em 3D são o máximo! Não é muito aconselhável para quem não sabe muito de inglês, embora seja ótimo para quem conhece a língua, porque no jogo há vários diálogos (óbvio, é um RPG!) em diferentes níveis de inglês, como inglês caipira e informal, inglês comum e até inglês arcaico (inglês usado em Shakespeare e na Bíblia)! Para quem pensa que jogos não são intelectuais, é melhor rever seus conceitos!

2. Super Smash Bros Brawl

Simplesmente esplêndido! Quando comprei esse jogo fiquei curioso pelo sistema de batalhas que ele usa, na maioria dos jogos “normais” de luta, a personagem só ganha quando a energia ou sangue do adversário acaba, mas aqui não! O sistema é por porcentagem, ou seja, quando batem em você, sua porcentagem aumenta e quando ela está muito alta fica fácil de matar você. Além disso, há o modo de aventura e muitas, muitas coisas para se descobrir no jogo, se eu for citar todas elas, o post não ter mais fim!

3. New Super Mario Bros Wii

Dispensa apresentações, fantástico e extremamente criativo, assim como se espera do núcleo de desenvolvimento da Nintendo para a franquia mais vendida dos videogames. Divertido e desafiador, com fases dão vontade de jogar o tempo todo e fases que fazem você perder a cabeça, ora pela dificuldade da fase em si, ora pela dificuldade de achar os benditos itens! Destaque para o final épico com Bowser na última fase do Mundo 8.

É, esse ano eu não joguei muito, mas pelo menos os títulos são ótimos e não me decepcionaram!

Livros:

Esse ano eu também não li muito (romances), por causa dos meus estudos para o ENEM e UERJ! Bem, vamos às páginas agrupadas que contam uma história, que comumente chamamos de livros.

  1. O vento nos salgueiros

É, eu sei que sou grande demais para ler esse livro, mas como nunca tinha o lido na infância, resolvi ler no começo desse ano. É um livro meio esquisito, o livro se diz infantil (e é), porém tem algumas partes, digamos, adultas! Como numa parte em que crianças bebem cerveja (!), uma luta contra doninhas e a parte mais estranha (para mim): o encontro de alguns animaizinhos com o deus Pã! Há quem diga que essa parte é a parte mais bonita da história e coisa tal, mas sei lá, colocar uma criatura meio humana e meio bode num livro infantil; e além do mais depois do encontro com o deus, os animaizinhos esquecem tudo! No geral o livro é legal, porém já li livros infantis beeeem melhores que esse.

2. A guerra das salamandras

Salamandras escondidas num local remoto da Ásia são descobertas por um capitão europeu se reproduzem e destroem a humanidade, bem esse é um resumo do livro. Parece chato, mas REALMENTE NÃO É. As salamandras são boazinhas, mas você sempre tem a impressão de quando você menos esperar elas vão e… BOOM! Querem destruir a humanidade. O livro é uma paródia da corrida armamentista (um dos motivos para a 1ª Guerra Mundial [1914-1918]) e consumo desenfreado, já que nós humanos exploramos ao máximo a pobre das salamandras para fazer trabalhos árduos, só que esquecemos (como sempre) que elas são altamente inteligentes e depois elas se voltam contra nós, um livrão! Só não gostei muito do final porque o autor quebra a quarta parede.

3.  Ratos

Sabe aquele livro que você diz: “Ah, vou levar só porque a capa é legal.” E depois você chega a sua casa lê e diz: “Poxa, até que fim ser superficial valeu a pena!”. Simplesmente um dos raros livros que já li que dei nota 10! O livro fala sobre uma ratinha chamada Shelley (que é uma rata no sentido figurado, tá legal?) que fica calada sobre tudo, as pessoas a agridem, Shelley fica quieta, as pessoas a insultam, Shelley fica quieta, as pessoas fazem qualquer coisa e… Shelley fica quieta! Com uma personalidade assim fica difícil de aceitar que essa menininha vá matar um homem! Bem é melhor eu parar por aqui se não vou falar demais (se bem que eu já falei, ou escrevi?). O final é ótimo, para determinados tipos de pessoas.

4.  O zoológico de Varsóvia

Quanto mais nós ouvimos sobre a Segunda Guerra, mais ficamos impressionados, O Zoológico de Varsóvia é quase uma espécie de Diário de Anne Frank, só que os protagonistas aqui não ficam presos num anexo secreto e sim num zoológico e não são “apenas” oito pessoas e sim 300, isso mesmo, 300 pessoas passaram pelo zoológico de Varsóvia. Uma cristã (católica) e um ateu abrigam trezentas pessoas no zoológico no qual eles administram, já que o local foi totalmente bombardeado pelos alemães, Diane Ackerman narra a história, mas com várias citações dos personagens que foram registrados por Antonina (diretora do zoológico [a cristã católica]), dessas 300 pessoas “só” duas ou três morrem, enquanto em Anne Frank eles tiveram um final bem mais trágico.

5. Nos bastidores da Nintendo

Só comprei porque sou fã da empresa e isso basta. Nesse livro, Jeff (o autor) conta com detalhes sobre uma das empresas mais queridas do mundo, desde sua fundação até seus desafios do futuro. PS: o título do livro completo é: Nos bastidores da Nintendo: o jeito Wii de reinventar negócios e transformar clientes em fãs. Título curtinho né?

6.  Deus é vermelho

Curiosidade em saber como funcionam as religiões cristãs na China, leia esse livro! Histórias comoventes e tristes, depoimentos, e principalmente: entrevistas. Na verdade, o livro todo é feito disso: entrevistas, muito interessante. Aproveite também para saber um pouquinho da história milenar da China.

7. Tóquio ano zero

8. A lebre com olhos de âmbar

9.  A culpa é das estrelas

Um romance entre uma garota com câncer e um garoto… com câncer! Bem legal, o livro tem uma narrativa que te prende e uma história um tanto incomum.

10. Um dia

Um casal se conhece no dia 15 de julho, a partir disso todos os capítulos do livro acontecem no dia 15 de julho de anos seguintes e mostra como as vidas das personagens evoluem (ou em alguns casos regridem) com o passar do tempo, simplesmente brilhante!

11. Tóquio cidade ocupada

Apesar de fazer parte da trilogia “Tóquio”, cidade ocupada é um livro totalmente independente e não precisa ser lido necessariamente após “ano zero”. Veja um pouco da história: um “oficial” de higiene entra num banco dizendo que existe um caso de tifo (doença) na região e por isso devem tomar um “remédio”, os 16 funcionários do banco bebem o tal remédio e 10 morrem na hora e mais dois no hospital, o oficial foge… Doze pessoas contam uma história diferente, um xamã, uma sobrevivente, uma vítima (que disse a história antes de morrer, óbvio), um gângster e outras pessoas malucas e sinistras. Eu não consigo achar palavras que definem como essa história é inteligente. Se você gosta da cultura japonesa esse livro é um prato cheio. Ponto negativo pelos repetitivos trechos no livro e alguns formatos de textos que são insuportáveis de ler. Achei alguns itens muito legais de pesquisar que achei no livro: Unidade 731 (pesquise se não tiver medo), crime do banco Teikoku e Sadamichi Hirasawa.

12. O diário de Anne Frank

E para fechar o ano com chave de platina (não é nem de ouro), uma história que você lê e diz: “Poxa vida, eu não acredito que ela morreu!” Annelies Marie Frank, conta seu cotidiano dentro do tedioso Anexo Secreto durante os anos que se passam na Segunda Guerra Mundial. As privações, o tédio, as brigas nada disso impediu que o Anexo Secreto fosse invadido pelos alemães em agosto de 1944, O Diário de Anne Frank traz mensagem de paz para que atrocidades como o Holocausto nunca mais apareçam nas nossas páginas de livros de história.

A Lebre com Olhos de Âmbar

Elegante, original e brilhante.

Mas uma vez eu aviso, esse post contém spoilers, então se você está a fim de ler esse livro, não leia esse post, vá procurar outro post sem spoilers!

Você tem algum objeto que tem uma história interessante? O nome desse blog é em homenagem a um brinquedinho que eu tive (saiba mais aqui) um flamingo, mas esse brinquedo não teve nada de mais em sua história, ele foi comprado pelo meu pai em 2004 nos dias das crianças e… só!

Quantas vezes você já leu algum livro sobre a história de bonequinhos? Se a resposta foi nenhuma, bem-vindo ao grupo, isso e outras coisas fazem esse livro realmente especial, um livro que conta a trajetória dos netsuquês (pequenos objetos artesanais japoneses) e não só isso ele conta a história da família do autor além de falar sobre a primeira, segunda guerra mundial e a ocupação norte americana no Japão pós-guerra, é, esse livro é um livro completo.

O começo do livro já te surpreende com a árvore genealógica da família do autor, a família Efrussi ou Ephrussi (como é escrito normalmente durante o livro) tem suas origens em Odessa, uma cidadezinha no sul da Rússia, Charles Joachim Ephrussi, que se chamava Chaim (seu nome judaico [sim, os judeus mudavam seus nomes quando eles migravam para a Europa porque os nomes deles não eram “agradáveis aos ouvidos”]) e Belle (que se chamava Balbina) são o começo da família, mas bem longe da história dos netsuquês.

A história dos netsuquês começa com Charles, mas não esse Charles que eu acabei de mencionar acima, esse é outro Charles que é neto do primeiro Charles, sim, esse é um livro complexo e a criatividade para nomes da família Ephrussi só ajuda. Ele tinha uma amante e na época era modinha ter coisas do Japão eeee… Charles encomendou 264 miniaturas japonesas (os netsuquês) até agora eu não sei o porquê de exatamente 264, por que não 200 ou 300 ou 250? Mas deixa pra lá, continuando, ele deu esses netsuquês de presente para o casal que acabara de se casar: Viktor e Emmy (Só que… Do Charles ganhar os netsuquês até ele dar de presente ao casal, haja história, eu acho que são quase ou mais de 100 páginas até isso acontecer).

Atravessando a Primeira Guerra Mundial, a melhor (ou uma das melhores) parte do livro é quando tem o começo da Segunda Guerra Mundial, no qual a poderosa família

Ephrussi (de origem judaica) é expulsa de seu belo palácio e a família acaba se espalhando pelo mundo (México, Inglaterra, Estados Unidos etc.) e me esqueci de mencionar que, o casal Viktor e Emmy além dos três filhos, Elizabeth (avó do autor), Ignace (antigo dono dos netsuquês) e Gisela (que foi morar no México), tinham uma emprega super fiel, Anna.

Anna trabalhava desde sua adolescência (14, eu acho) para Emmy e mesmo quando esta se casou com Viktor, continuou firme, ajudou a cuidar das três crianças e quando o pessoal da SS expulsou o casal do palácio e o mesmo pessoal disse para Anna ter vergonha de trabalhar para judeus e ser proibida de trabalhar para eles; Anna simplesmente continuou no palácio e fez algo incrivelmente incrível: como os oficiais da SS estavam ocupados demais confiscando as obras de arte, móveis e outros objetos de valor do palácio, Anna foi pegando de pouquinho em pouquinho todos os netsuquês.

Quando Elizabeth voltou à mansão (depois da guerra) Anna entregou os netsuquês para ela. Depois disso, Elizabeth mostrou ao seu irmão Ignace os netsuquês e, este pareceu ter tido um surto de nostalgia (já que ele e as duas irmãs brincavam com os netsuquês na infância) e decidiu participar da ocupação norte-americana no Japão, dizendo que iria devolver os netsuquês de volta ao país de origem.

Ignace morreu e os netuquês ganharam um novo dono e novo lar, agora as centenas de mini esculturas foram para as mãos de Edmund de Waal e em vez de ficarem no Japão, foram para a Inglaterra e… Fim!

A lebre com olhos de âmbar não tem lá as melhores qualificações para atrair leitores (uma história de bonequinhos japoneses), mas Edmund me surpreendeu, mostrando que aqueles netsuquês tiveram uma história fantástica, assim como sua família, A lebre com olhos de âmbar é um livro que dá vontade de dá de presente para todo o mundo.

Dados do livro

Título A lebre com olhos de âmbar
Autor Edmund de Waal
Título original The hare with amber eyes
Tradutor Alexandre Barbosa
Editora Intríseca
Páginas 318

As Melhores Universidades do Mundo 2012-2013

Na lista atualizada da THE (Times Higher Education) comandada pela Thomson Reuters, o Instituto de Tecnologia da Califórnia (CalTech) continua imponentemente em seu primeiro lugar, Oxford agora empatada com Stanford em segundo e a poderosa Harvard em seu decepcionante quarto lugar. A USP melhora sua pontuação e posição na lista, o Instituto Federal Suíço de Zurique é a melhor universidade do mundo não anglófona, a Universidade de Tóquio é a melhor universidade da Ásia, a Universidade da Cidade do Cabo é a melhor universidade da África e a Universidade de Melbourne é a melhor universidade da Oceania. Na lista de 1 a 400, só duas universidades brasileiras: A Universidade de São Paulo e a Universidade de Campinas. A lista abaixo é das 30 melhores universidades, no final da lista clique no link para ver a lista completa, claro, se for do seu interesse.

Rank Universidade País Pontuação
1 Instituto de Tecnologia da Califórnia Estados Unidos 95.5
2 Universidade de Oxford Reino Unido 93.7
2 Universidade de Stanford Estados Unidos 93.7
4 Universidade de Harvard Estados Unidos 96.3
5 Instituto de Tecnologia de Massachussetts Estados Unidos 93.1
6 Universidade de Princeton Estados Unidos 92.7
7 Universidade de Cambridge Reino Unido 92.6
8 Colégio Imperial de Londres Reino Unido 90.6
9 Universidade da Califórnia, Berkeley Estados Unidos 90.5
10 Universidade de Chicago Estados Unidos 90.4
11 Universidade de Yale Estados Unidos 89.2
12 ETH Zurique – Instituto Federal Suíço de Tecnologia Suíça 87.8
13 Universidade da Califórnia, Los Angeles Estados Unidos 87.7
14 Universidade de Columbia Estados Unidos 87.0
15 Universidade da Pensilvânia Estados Unidos 86.6
16 Universidade Johns Hopkins Estados Unidos 85.6
17 Universidade Colégio de Londres Reino Unido 85.5
18 Universidade Cornell Estados Unidos 83.3
19 Universidade do Noroeste Estados Unidos 83.1
20 Universidade de Michigan Estados Unidos 82.6
21 Universidade de Toronto Canadá 82.2
22 Universidade Carnegie Mellon Estados Unidos 81.5
23 Universidade Duke (Duque) Estados Unidos 81.2
24 Universidade de Washington Estados Unidos 79.9
25 Universidade do Texas em Austin Estados Unidos 78.8
25 Instituto de Tecnologia da Geórgia Estados Unidos 78.8
27 Universidade de Tóquio Japão 78.3
28 Universidade de Melbourne Austrália 77.9
29 Universidade Nacional de Singapura Singapura 77.5
30 Universidade da Colúmbia Britânica Canadá 77.3

Para ver a lista completa no site oficial, clique aqui.

An Image A 2012

AVISO: as imagens a seguir não fazem o menor sentido.

Esse é um dos pontos mais movimentados de Tóquio.

Neo zelandeses comemorando nas Olimpíadas de Londres

Bola na frente do croata, também em Londres

 

Foto dos melhores tenistas do mundo em Melbourne, Austrália.

Android comendo um Macbook

 

 

Essa imagem veio no meu MP4

 

 

A tão elegante e poderosa Nova Iorque, não tão elegante e poderosa assim nessa imagem, foto tirada na Little Italy em 1900.

 

 

Mario numa versão 3D, só que ao mesmo tempo antiga.

 

Sem palavras para descrever essa imagem.

 

E para fechar, uma bela imagem da lua brilhando, imponentemente no céu negro (bem poético esse final, né?).

An Wallpaper F

Mais wallpapers da National Geographic, para aumentar o tamanho das imagens, basta clicar nelas.

Uma câmera numa armadilha dispara ao encontrar um tigre caçando de manhã cedo nas florestas de Sumatra, Indonésia. Os tigres podem prosperar em vários habitats, desde o frio do Himalaia até manguezais quentes da Índia e Bangladesh

 

A vertiginosa piscina de Singapura é incrível, mostra como um país com passado tão humilde se "revolucionou" e se tornou uma das cidades mais modernas do mundo

 

A antiga Longacre Square, que hoje se chama Times Square, vibra com mais uma noite, a região que era um dos trechos mais decadentes da Broadway e de Nova Iorque, sofreu um projeto de revitalização de 30 anos que a transformou aquela área tão decadente num dos lugares mais movimentados do mundo

 

Nuvens de Magalhães enfeitam o céu dos Andes da Patagônia

 

Esse lugar bem aquático é o Cubo D'água em Pequim, na China, lembra dele? Ele foi usado pelos nadadores olímpicos em 2008

 

Uma mãe descansa com seu filhote de dois meses de idade no Bandhavgarh National Park, os dois animais são tão grandes que eu simplesmente não sei quem é a mãe ou o filhote!

 

 

À pé, de carro, de trem, todos passam pela Taksim Square, em Istambul. Esquemas para restringir essa área para tráfego pedestre, preocupam planejadores, já que eles temem que isso possa tirar a energia criativa desse lugar tão animado e moderno

 

A República Democrática do Congo tem uma vegetação saudável. Uma região de área verde em South Kivu aparece avermelhada depois de ter sido tirada com fotografia infravermelha

 

O crescimento eletrizante de Seul, na Coreia do Sul, antes devastada e empobrecida nos anos 50, agora é um importante centro de informação com muitas torres e apartamentos

 

O parque dos cervos é uma rara sobrevivência dos cerca de 700 parques existentes no início do século 17 na Inglaterra. A grandeza desse estilo aristocrático infiltrou em todos os cantos da Inglaterra e do Rei James para a língua utilizada pelos tradutores da sua Bíblia. Foi uma época em que a hierarquia social era considerado um reflexo da ordem divina do universo

Algumas Curiosidades F

Na Inglaterra, um buquê de rosas amarelas significa amizade, mas no Irã e no Peru significa: “eu não gosto de você!”.

O nome real da atriz americana Marilyn Monroe era Norma Jeane Mortenson.

Os japoneses são os que gastam mais dinheiro em livros no mundo por ano – 182 dólares por pessoa!

Eu não faço ideia do que ela está falando

Quando as pessoas dizem “Tio Sam” elas estão falando sobre o governo dos Estados Unidos.

A média de pessoas por casa na Arábia Saudita é mais do que sete, aqui em casa são quatro e eu acho um exagero, imagine você viver com 7 pessoas!

Smith é o Silva dos países que falam inglês, é o sobrenome mais comum nos Estados Unidos, Inglaterra, Austrália, o segundo mais comum no Canadá e o quinto mais comum na Irlanda. Mas o mais comum da China e do mundo é o sobrenome Zhang, há mais de 100 milhões de Zhangs.

O maior país do mundo é a Rússia, seguido do Canadá, mas você sabe qual é o menor país do mundo? É a cidade do Vaticano, ela tem apenas 0,44 quilômetro quadrado de área.

Damasco é a capital da Síria. E é uma das mais velhas cidades do mundo, ela tem mais de 5.000 anos de idade!

60% dos estudantes americanos mudam seu curso de faculdade mais de uma vez.

O ingrediente favorito na pizza para os australianos são ovos! No Chile, mozzarella e amêijoas, nos Estados Unidos pepperoni é o favorito.

No Chile, as pessoas gostam de amêijoas nas pizzas